Dossiê 17 - Famílias Bhering e Mollica

AF17Image(1) AF17Image(2) AF17Image(3) AF17Image(4) AF17Image(5) AF17Image(6) AF17Image(7) AF17Image(8) AF17Image(9) AF17Image(10) AF17Image(11) AF17Image(12) AF17Image(13) AF17Image(14) AF17Image(15) AF17Image(16) AF17Image(17) AF17Image(18) AF17Image(19) AF17Image(20) AF17Image(21) AF17Image(22) AF17Image(23) AF17Image(24) AF17Image(25)

Área de identificação

Código de referência

BR MGUFV 04.04.01.03.17

Título

Famílias Bhering e Mollica

Data(s)

Nível de descrição

Dossiê

Dimensão e suporte

O álbum conta com 25 fotografias, as idênticas não foram lançadas.

Área de contextualização

História do arquivo

Procedência

Área de conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

  • Apontamentos sobre a família Bhering:

Os Bherings foram imigrantes alemães que chegaram ao Brasil nos anos de 1800; alguns ficaram no Rio de Janeiro, outros no interior do Estado do Rio e alguns vieram para Viçosa, onde se estabeleceram, casaram e constituíram família. O mais antigo varão que aqui chegou foi Francisco de Paula Bhering que se casou com Rita Cândida, dos quais nasceram seis filhos. O primogênito foi Antônio de Carvalho Bhering, que se casou com Maria Cândida Galvão. Estes tiveram quatro filhos, sendo o mais velho Antonelli de Carvalho Bhering, nascido no dia 3 de Junho de 1882, que se tornou prefeito de Viçosa por dois períodos.4
Antonelli vai para o Rio de Janeiro estudar na Escola Militar de Realengo, não chegando a concluir o curso motivado por uma rebelião de estudantes e apoiada por professores contra um decreto do Presidente da República; este tornava obrigatória a vacina contra febre amarela, prendendo e mandando todos os revoltosos cumprir pena por insubordinação no Rio Grande do Sul (os estudantes não conformados temiam o efeito do vírus em seu organismo).
Perdido o gosto pela farda voltou para Viçosa, seguiu depois para Santa Rita de Cássia no Sul de Minas e se casou com Ana Maria Martins Chaves, que faleceu de parto. Sua filha, Ana Maria Chaves Bhering, se casou com Joaquim Fernandes Braga - mais tarde o primeiro Reitor da Universidade Rural do Estado de Minas Gerais – e tiveram três filhos, dez netos e cinco bisnetos.
Antonelli casa-se novamente com Maria da Conceição Pacheco (Mimi Pacheco), filha do Dr. José Theotônio Pacheco, com a qual teve quatro filhos. Além de político militante foi também fazendeiro, comerciante de café e membro da maçonaria, tornando-se depois, por insistência da esposa, católico fervoroso. Auxiliou os estudos de vários rapazes e moças garantindo bolsas de estudo com seu próprio dinheiro. Ficou viúvo pela segunda vez em 20 de Agosto de 1953 e faleceu em 1967, aos oitenta e cinco anos.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

Área de condições de acesso e uso

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Área de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Área de notas

Identificador(es) alternativos

Pontos de acesso

Pontos de acesso de assunto

Pontos de acesso local

Ponto de acesso nome

Pontos de acesso de gênero

Área de controle da descrição

Identificador da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Status

Nível de detalhamento

Datas de criação, revisão, eliminação

Idioma(s)

Sistema(s) de escrita(s)

Fontes

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Gêneros relacionados

Lugares relacionados